sexta-feira, julho 08, 2016

Peças do Enxoval funerário de Sheshonq II


 
Máscara mortuária

Soooo cool! Eu amo as 21° e 22° Dinastias. Tão pouco exploradas. Esses faraós eram de origem Líbia. 
Sheshonq I, fundador da dinastia era um general Líbio. Terceiro Período Intermediário. Período de conflitos quando o país se encontrava dividido. 

Sheshonq II é um dos mais misteriosos dos mais misteriosos faraós. Nem se sabe com certeza de quem era filho. Alguns até mesmo acreditam que ele jamais governou sozinho. Nada se sabia dele até a descoberta de sua tumba intacta por Pierre Montet em Tanis. 

 
Peitoral

 

  

 

Sarcófago de prata de Sheshonq II representando o deus Solkar. 
Na última imagem acompanhado de seus vasos canópicos. 

Essa, possivelmente seria a maior descoberta da arqueologia egípcia pois Montet não descobriu apenas uma tumba real intacta. Mas três!!! A de Sheshonq II, de Amenemope e a do meu amado Psusennes I. 

Infelizmente, a Segunda Guerra eclodiu e Montet não pode anunciar o fato para a imprensa com medo de saques ao sítio arqueológico. Quando a guerra finalmente acabou, o momento havia passado. Diferente de Carter, Montet não obteve glória que queria. E suas descobertas são quase que desconhecidas do grande público. 

É uma pena. A arte desse período é muito refinada. Eu acho belíssima. E, como disse, um período ainda muito misterioso. Os períodos intermediários geralmente são considerados de baixa produção artística e sofreram com o descaso dos pesquisadores do passado atrás do "Ouro dos Faraós" dos seus tempos de "glória" como a 4ª dinastia ou as 18º e 19º. Merecia mais atenção e pesquisa. :)

segunda-feira, junho 13, 2016

Tumba da Rainha Nefertari




It is worth mentioning the debatable role played by the tomb of queen Nefertari, one of the Great Royal Wives of Ramesses II, in the success of the monochrome style by the craftsmen. In the sarcophagus chamber, the "room of gold", in a small lateral niche destined to shelter the canopic jars, is represented, in monochrome on a white background, the figure of the winged goddess Nut, with a human body and golden wings, as are the hieroglyphics of the small accompanying text (se...e unidia-bs). On the side walls of this niche, can be seen the Four Children of Horus who have been produced in the same way. This type of representation is a reminder of the monochrome vignettes found in the papyri of the Book of the Dead. It possible that the workers tried to replace the fragile support of the real payrus form by a more reliable one, the actual wall surface of the tomb. Two examples, dating from the XVIIIth Dynasty, attest to the ancient idea of adapting the papyrus to the rock surface in the tombs: for example in those of Tuthmosis III and his son Amenhotep II, in which there are of true papyrus images unfolded on the walls.
The role of the tomb of Nefertari, mentioned by Bruyère, is not formally established: on one hand, the first monochrome tombs of the site date back to the reign of Sethy I, on the other hand, it is thought that it is rather the queen's tomb which presents the signs indicating the influence of the chambers of craftsmen, not the reverse.
osirisnet.net

Novas Descobertas em Heliópolis


Ya el año pasado aparecieron diversos bloques en el yacimiento arqueológico de Heliópolis que evidenciaban la existencia de un templo o capilla de la Dinastía XXX, de la época del faraón Nectanebo I (360-343 a. C.). Ahora el equipo de arqueólogos egipcio-alemán ha descubierto nuevos fragmentos de este santuario, que a juzgar por sus dimensiones debían formar parte de un edificio considerable.


Entre los nuevos descubrimientos lo más destacado es un conjunto de seis grandes bloques con relieves e inscripciones. Destaca, por ejemplo, uno realizado en basalto negro en el que aparece representado el dios Hapy, aunque también se han localizo elementos tan delicados como una pequeña figurilla en bronce que muestra a la diosa Bastet.

Junto a las construcciones relacionadas con la Dinastía XXX también hay nuevos datos sobre la Heliópolis de tiempos ptolemaicos y se ha localizado un nuevo emplazamiento, en el que surgen sillares con relieves y fragmentos de esculturas colosales de granito rosa, entre el templo de Nectanebo I y el ya conocido santuario de la época de Ramsés II en la zona del Suq al-Khamis.

-

Heliópolis fue uno de los centros religiosos más relevantes de Egipto a lo largo de toda su historia, aunque arqueológicamente es poco conocido y solo hay datos parciales. La cercanía del área urbana moderna y la proximidad del nivel freático, que inunda y enfanga todo, dificultan enormemente unos trabajos que esperemos sigan proporcionando tan interesantes frutos en el futuro.

Reseña de Susana Alegre García

Fuente:
6/5/2015
Ministry of Antiquities, Press Office
http://luxortimesmagazine.blogspot.com.es/2016/05/evidence-of-ancient-egyptian-temple.html?view=classic
http://thecairopost.youm7.com/news/206783/news/2360-year-old-temple-ruins-of-egypts-last-pharaoh-unearthed-under-modern-cairo
Fotos:
Ministry of Antiquities, Press Office

Vaso Canópico pertencente a Padiouf

 

Detalhe de um dos vasos canopos que pertenceram a Padiouf, um sacerdote de Amon que viveu na 23ª dinastia. A tampa com rosto de um babuíno indicava que no interior no vaso continham os pulmões do falecido, cuja proteção era atribuída a deusa Néftis. 
Museu do Louvre, Paris.

Fonte: antigoegito.com

domingo, maio 29, 2016

Pirâmide de Djoser (Saqqara)


A mais antiga do mundo. 🙂
2650 a.C.

Metal em Adaga de Tutankhamon Veio do Espaço



A famosa adaga de ferro de Tutankhamon. Mais valiosa para a arqueologia que todo o seu tesouro. Adoro esse brinquedinho...

Aparentemente comprovada a teoria que o metal veio, de fato, do espaço. Havia a teoria que pudesse ter sido importado da Turquia, mas pela sua composição, veio do deserto egípcio mesmo. Ela causou comoção quando a tumba foi descoberta. Justamente pela raridade do uso do ferro pelos egípcios. 

Outra curiosidade e que ela foi encontrada na cintura de Tut. Próximo à sua mão direita. Portanto, serviria para protegê-lo no além. Além de apresentar marcas de uso. O que indica que não era cerimonial. Mas sim de uso pessoal do rei. 

"Este profesor de Física aclara cómo han llegado a establecer que se trata de un metal procedente del espacio teniendo en cuenta su composición, pues el hierro del puñal contiene níquel al 10 por 100 y cobalto al 0,6 %: «Son las concentraciones típicas de los meteoritos. Pensar que pueda ser fruto de una aleación, en estas concentraciones, es imposible», subraya el físico Porcelli, quien ha sido precisamente el estudioso que ha encabezado el proyecto iniciado en el 2014, en el que han participado, con financiación italiana y egipcia, expertos en meteoritos de la Universidad de Pisa, científicos del Politécnico de Milán y de Turín, el CNR (Consejo Nacional de las Investigaciones) y la empresa XGLab; por parte egipcia, el Museo del Cairo y la Universidad de Fayoum. Detalles del estudio aparecen en un artículo publicado en la revista «Meteoritics and Planetary Science».

quinta-feira, maio 19, 2016

Anel Shen


O "Anel" Shen ou apenas "Shen" é um símbolo de proteção eterna. Geralmente traduzido como "envolver", "rodear".  Significa também ilimitado. Que não tem começo nem fim. Eterno. Outros significados incluem "mundo" ou a "esfera" do poder real. 

Uma variação do anel Shen é o famoso cartucho real que contém o nome do rei. 

A ideia de um círculo que o protege do mal talvez seja mais antiga do que você imagina. ;)

Para o pessoal mais nerd, ele foi a inspiração para o famoso Stargate para o filme homônimo. ;)

quarta-feira, maio 18, 2016

Sarcófago de Shep-en-Mut



800 A.C.
Material: Madeira, Gesso e pigmento. 
Thebas. 

Sarcófago de um Falcão


Sacórfago feito em bronze para um Falcão. Animal normalmente associado ao deus Hórus como uma de suas manifestações na terra. Consiste em uma miniatura de um caixão sob o qual se encontra um falcão meticulosamente trabalhado. Suas penas e garras foram feitas através de incisões após a fundição. 

18º dinastia aproximadamente. 

segunda-feira, maio 09, 2016

Hawass e Reeves - Conflito de Opiniões Gera Debate Acalorado


"Zahi Hawass arremete con dureza contra el británico Nicholas Reeves en Presencia de este. El auditorio del Museo Nacional de la Civilización Egipcia en El Cairo fue testigo hoy del choque de dos egiptólogos en torno a una misma hipótesis: La existencia de dos cámaras tras las paredes de la tumba de Tutankamón, que podrían acoger, según la teoría del británico Nicholas Reeves, el sepulcro de la reina Nefertiti"

Amenhotep III (Detalhe - Cabeça)


Amenhotep III governou o Egito durante quase 40 anos durante a 18 ª Dinastia. 
Sua mamãe foi descoberto no vale dos Reis.
Amenhotep III era pai de Amenhotep IV (aka Akhenaton) e provavelmente  avô de Titankhamon. 
Ainda há dúvidas quanto ao parentesco entre eles. 

Imagens da Velha Cairo.


Primeira metade do século XX. 

domingo, maio 08, 2016

Templo da Deusa Hathor (Dendera)

Estátua Colossal de Amenhotep III

Também conhecida como um dos colossos de Mêmnon.
 
Retirado da Wikipédia:
 
Colossos de Mêmnon é a designação atribuída a duas estátuas gigantescas do faraó Amenófis III da XVIII Dinastia, situadas na necrópole da antiga cidade de Tebas, a oeste da cidade de Luxor, no Egipto. Estas duas estátuas eram entendidas como guardiãs do templo funerário do faráo. O templo tinha cerca de 385 000 metros, sendo um dos maiores da Antiguidade, mas foi completamente destruído devido às inundações do Nilo e à extracção de materiais.
 
As estátuas representam Amenófis sentado no trono com as mãos pousadas sobre os joelhos. Em cada lado das suas pernas está a sua mãe, Mutemuia, e a sua esposa principal, a rainha Tié. Nos dois lados do trono figuram a representação do sema-taui, símbolo que aludia à união entre o Alto e o Baixo Egipto, sendo possível ver o deus Hapi a realizar a união das duas plantas heráldicas, o papiro e o lírio.
 
As estátuas foram feitas em quartzito, possuindo cerca de dezoito metros, com um peso de 1300 toneladas. Os dois blocos de pedra a partir dos quais foram esculpidas as estátuas foram retirados da pedreira de Gebel el-Ahmar (nome que significa "a montanha vermelha"), situada no nordeste da actual cidade do Cairo. O responsável pelo transporte dos blocos foi o vizir e arquitecto Amenófis, filho de Hapu.
 
Um sismo ocorrido em 27 a.C., referido por Estrabão, abriu uma fenda no colosso norte. A partir de então todas as manhãs ocorria no local um fenómeno estranho segundo o qual a estátua "cantaria". O que realmente sucedia era que a acumulação de humidade durante a noite evaporava com o surgimento dos primeiros raios do sol, emitindo um som, que para Pausânias se assemelhava ao de uma cítara. No começo da era cristã os gregos visitaram o local e associaram a estátua norte ao herói Mêmnon, filho de Eos. De acordo com a lenda homérica, este herói, morto na guerra de Tróia, recebeu a imortalidade de Zeus, dedicando-se a chamar pela sua mãe todas as manhãs. Em 199 d.C o imperador romano Septímio Severo mandou restaurar a estátua, que a partir de então parou de cantar.

Tumba Tutankhamon



Reconstrução em digitação gráfica da câmara mortuária de Tutankamon.
Vale dos Reis
Tebas (Luxor) Oriental 

Henry Ford no Egito

 
Foto curiosa de Ford promovendo um dos seus modelos automobilísticos usando o Egito antigo como cenário.
Primeira metade do século XX.

Amenhotep III


Amenhotep III representado em um relevo em pedra calcária do Templo no Merneptah em Tebas. 
18a dinastia.
Grand Egyptian Museum.

Carneiro Alado


Teto astronômico no templo de Hathor em Dendera. 
O Carneiro alado com quatro cabeças personifica o vento do Sul.

Herise, O Chefe dos Médicos dos Dentes de Djoser



Herise, um dos primeiros médicos dentistas da história da humanidade. 
Possuía o título de "Chefe dos Médicos dos Dentes" na corte do faraó Djoser. 
Painel de madeira de sua tumba
Museu Egípcio do Cairo 

[eBOOK] Facts on File - Library of world History - Encyclopedia of Ancient Egypt

page1

Reinos do Antigo Egito (Ing)

All About History – Ancient Egypt 1st Edition
All About History - Egypt 01 (clique na imagem para acessar a matéria)